2 de janeiro de 2011

Para que nada nos separe...

... que nada nos una também! (Pablo Neruda)



Chegou 2011, outro dia, outro ano, outros sonhos!? tudo permanece inteiro sem metades partidas no silêncio com voz. Diálogos nossos em cada noite que adormeço no leito onde me jaz o corpo e adormece a Alma para não cair. Quando cair de mim o som de uma lágrima numa tela pintada pelo melhor artista é o dia do silêncio que nada mais existe de ti, parti aos ventos, sonhos e realidade. Voei para um canto do céu onde repousa toda a dor da Vida que senti por não desistir de Ser, Eu!

Sonya Monteiro Santos


Sem comentários:

Enviar um comentário