27 de outubro de 2009

Silêncio

Fecho os olhos e oiço a tua voz
Gemidos de um prazer fugaz
Coração exalta de tão perto sentir
Amor em desejo que silência
Estendo as mãos, trago-te até mim
Envolvo tua alma de mim
Em puro medo de te perder
Quero-te, desejo-te, amo-te
Sou em ti na imensidão
Imagino o céu e encontro-te
És estrela que brilha
Como anjo imaculado
Curvo-me a ti e choro
Ao sentir que te perdi

30 de Julho de 2008

Sem comentários:

Enviar um comentário