27 de outubro de 2009

Grito

Hoje não consegui sorrir... perdida... andei perdida! Vagueio à procura de mim, não estou aqui... não sei onde estou. Olho vezes sem conta, espelho de sombra... não sei quem sou. Demência contida, grito calado, lágrima seca... vivo aqui. Carrego o passado em peso que me esmaga o corpo, a alma! Puta que os pariu... não sabem... não pensam... não sentem! Perdoai-lhes que não sabem a dor que emerge dos actos... Subestimam essência que corre em veias cortadas na dor! Tombam à vergonha, levantam ao perdão... sem mais desistir. Grito em silêncio de mim... não quero, não vou... jamais desistir! Mentira... não sinto o que digo, não digo o que sinto... de mim! Íntimo pecado meu... sofrimento... vontade em desistir! Pediram para crescer... Porquê!?... Para quê!?... Aparências... Quem a sombra de mim cruza não alcança além daquilo que vê... ... não sente em mim, alma que transborda de amor por quem amo. Aos céus falo... confidencio... entrego o sofrimento de estar aqui!... Quero adormecer... descansar... repousar as minhas lágrimas. Acordar para me encontrar novamente e sorrir... amar... viver por ti!

Amanhã é outro dia...

25 de Agosto de 2008

Sem comentários:

Enviar um comentário