27 de outubro de 2009

Estou aqui... além...

Os dias que sinto o teu querer em mim
renasce muito mais o meu querer em ti!
Sinto aquela saudade que me entranha!
quando seco timidamente o rosto, voltas.

Vens com sofrego no teu querer em mim,
Beber a saudade plantada dentro do peito
Percorres e deleitas no corpo de desejo
Arrancas saudade entre corpos despidos
Vens, vais... No silêncio perdido sem eco!

Levas tudo o que sou e dei, estou vazia
Perdida na estrada por onde caminho
Cega em passo curto sigo por adiante
Batalhas que nego vencer-me na guerra
Aperto mãos para não encontrar no rosto

Nascente do mar de sal que corre em mim
Fonte que o coração liberta sem querer
Estou aqui, além de ti... do querer, não sei!
Sou por ti, em ti... onde estou!? Não sei!

Grito pelo eco de ti, não te encontro aqui.
Toco meu corpo em cada manhã. Viva!?
Que procuras neste Ser? Dilacerar o que Sou!?
Que te faz regressar a mim em cada saudade!?

Desejo essa saudade todos os dias... como ar!
Coragem que abandones a máscara, mostra-te!
Ser transparente como água límpida que bebo
Ser o imenso Sol que me aquece nas manhãs

Ser estrela que brilha no céu e guarda a noite!
Ser parte de mim em ti, ser Um para sempre!

19 de Agosto de 2009

1 comentário:

  1. Este poema é simplesmente lindo!
    Obrigada por partilhares.

    ResponderEliminar